Trabalho de Conclusão de Curso

Últimas

Linhas naturais

I - Linhas naturais

A imagem que abre os registros fotográficos foi escolhida para iniciar o ensaio por mostrar o que mais chamou a atenção no primeiro contato com o Rio e que serviu de título para a foto: as linhas produzidas pelo Rio com o material que fica suspenso em suas águas.

As linhas, apesar da assimetria, ajudam a dar a ideia de maior distanciamento e, mesmo sendo muito tortuosas, o mar ao fundo traz a harmonia e as curvas exibidas trazem a sensação de movimento. Na imagem, que mostra a vida no Rio, pode-se ver a aplicação das leis da Gestalt de proximidade e semelhança. As diversas linhas no solo reforçam a ideia de unidade e dão mais unificação à forma.

A restrição do horizonte faz com que o observador dê mais atenção às linhas. Com isso, centra-se o interesse de quem visualiza as fotografias no Rio e seus efeitos. Outro ponto que merece destaque é a busca pela sensação de profundidade, que pode ser observada pela escolha da posição da câmera.

Dados técnicos:

- Exposição:

Velocidade do obturador: 1/340 segundo.

Abertura do diafragma: f/5,6.

- Sensibilidade: ISO 80.

- Comprimento focal: 11,7 mm.

 

A fonte da vida

A fonte da vida

No registro, realizado na turbulenta região de encontro do Rio com o mar, vê-se que a luta constante entre o esses dois elementos da natureza encontrou mais um componente: o homem. A escolha de um enquadramento mais aberto, cuja distância do objeto fotografado foi captada em grande plano geral, busca mostrar logo no início do ensaio o distanciamento que há ao se deparar com o Rio, com o pouco conhecimento inicial sobre ele. Com isso, o observador da imagem terá acesso a mais informações visuais sobre o Rio.

Na imagem pode-se ver a relação do homem com o Rio, onde diversos pescadores tentam a sorte de prender algum peixe em suas redes. Nesta fotografia busquei restringir o horizonte para que o foco de quem visualize a imagem fique nos pescadores e em seu trabalho dentro da água.

Dados técnicos:

- Exposição:

Velocidade do obturador: 1/400 segundo.

Abertura do diafragma: f/10.

- Sensibilidade: ISO 200.

- Comprimento focal: 21,6 mm.

Vante

III - Vante

Vante é o nome que se dá a ponta de uma embarcação e nesta imagem vê-se a do barco no qual foi realizada a viagem pelo Rio. O desfoque do fundo se deu para mostrar que o que viria a frente era uma incógnita e o foco centrado na vante mostra que o olhar será orientado pelo caminho que o barco levar.

A proximidade e o destaque da objetiva da câmera com o objeto fotografado ocorreu aqui para aumentar o grau de aproximação emotiva do observador à embarcação e a forma tridimensional da vante traz à imagem o volume do objeto fotografado.

Dados técnicos:

- Exposição:

Velocidade do obturador: 1/320 segundo.

Abertura do diafragma: f/7,1.

- Sensibilidade: ISO 80.

- Comprimento focal: 66,7 mm.

Bicos

IV - Bicos

Na fotografia as linhas no fundo azul mostram a interessante figura e similaridade entre a geometria do pássaro e do galho no qual ele repousa. Ambos parecem bicos.

O enquadramento da imagem também dá destaque ao fundo azul, predominante no registro e que transmite a sensação de calma e tranquilidade. O posicionamento do pássaro ao direcionar o olhar para o espaço menor na fotografia, enquanto dá de costas para a pouca vegetação dentro da imagem, busca mostrar o encurtamento cada vez maior dos espaços verdes, que são o habitat natural dessa ave.

O pássaro como um elemento de destaque pontual dentro da imagem contribui para incrementar a força intencional do trabalho e atua como elemento de atração visual. Além disso, a simplicidade e a boa organização dos elementos da imagem facilitam sua compreensão e pode ser considerada exemplo da aplicação da Lei da Gestalt da pregnância da forma, com a lei Básica da Percepção, onde um padrão de estímulo tende a ser visto de tal modo que a estrutura resultante é predominantemente simples

Dados técnicos:

- Exposição:

Velocidade do obturador: 1/480 segundo.

Abertura do diafragma: f/4,9.

- Sensibilidade: ISO 100.

- Comprimento focal: 66,7 mm.

Reflexos

V - Reflexos

A tranquilidade das águas do Rio Jucu tornaram a superfície extremamente refletora. A luz que transpassa pelas nuvens atinge o Rio e mostra grande beleza com seu reflexo. As linhas da margem do Rio trazem a sensação de perspectiva à imagem e estão ligadas a Lei da Gestalt da Boa Continuidade, com a coincidência de direções e o alinhamento, das formas dispostas.

Como as margens do Jucu apontam para o mesmo lugar, com um céu azul e branco, o resultado final flui mais naturalmente pela harmonia, facilitando a compreensão, tanto pelas linhas quanto pelas cores. A curva da borda do barco traz também a sensação de movimento à imagem.

Dados técnicos:

- Exposição:

Velocidade do obturador: 1/640 segundo.

Abertura do diafragma: f/5,6.

- Sensibilidade: ISO 80.

- Comprimento focal: 7,2 mm.

H2O

VI - H2O

Nesta fotografia foi realizado um close-up na água do Rio, próximo a região da barragem para captação de água e distribuição à população. Na imagem pode-se observar que há distorção do reflexo das nuvens na água, que foi utilizada aqui como objeto fotografado e objeto do fotógrafo, proporcionando ao observador a criação uma imagem abstrata natural com a água.

As linhas horizontais mostram uma clara divisão onde de um lado há calmaria, enquanto do outro turbulência. A proximidade da câmera com a água deu à imagem um maior grau de aproximação emotiva e proporcionou elevada beleza aos olhos do observador.

Dados técnicos:

- Exposição:

Velocidade do obturador: 1/640 segundo.

Abertura do diafragma: f/5,6.

- Sensibilidade: ISO 80.

- Comprimento focal: 7,2 mm.

Movimento

VII - Movimento

Nesta imagem houve a busca pela captura da imagem do movimento das águas. A velocidade mais lenta do obturador proporcionou essa sensação que leva a quem vê a fotografia o constante ciclo que o Rio impõe à água.

A escolha por uma câmera mais baixa e do enquadramento da imagem se fez para expor, como se vê ao fundo, a pouca vegetação às margens e como ela vai desaparecendo com o passar do tempo e do Rio. As pedras buscam mostram os desafios que o Rio tem de encarar para seguir seu curso normal e o céu, em tons mais claros, contrasta com a vegetação e com as pedras do Rio, dando mais destaque ao Rio, que é o objeto principal na imagem. Além disso, as cores azul e branco promovem ao observador a sensação de paz e segurança, aumentando a simpatia à imagem.

Dados técnicos:

- Exposição:

Velocidade do obturador: 1/20 segundo.

Abertura do diafragma: f/11.

- Sensibilidade: ISO 80.

- Comprimento focal: 6,2 mm.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.